Seguidores

21 de julho de 2010

O TEU MADRIGAL


Madrigal



Da Flor caiu a pétala da saudade
onde o orvalho perfuma requintado
as lágrimas da esperança sem idade
dos jardins do madrigal iluminado...

Tenho o Sol do poeta na escuridão
os beijos dourados na mão do luar
escondido está o coração da paixão
no sorriso que guarda cada olhar!

No perfume das palavras esvoaça
uma nuvem carregada de emoção
que desperta sem pressa a graça
dos beijos sonhados pelo coração....

Onde voa o silêncio em delicadeza
como a barca sem porto marcado
o seu cais é abrigo de suave beleza
onde cada estrela é o beijo desejado!

Elly





17 de julho de 2010

COMPAIXÃO



           "Todas as almas nobres têm como ponto comum a compaixão."
                                                           ( Friedrich Schiller )


Entre os vários dossiers que se encontravam por organizar, deparei-me com um recorte de um  artigo de uma revista, cujo tema era a Compaixão. Já muito desgastado, mas carinhosamente guardado comecei a ler o artigo,  com mais de vinte anos. Voltei novamente a guarda-lo, mas as suas palavras foram correndo a minha mente, a ponto de ficar a reflectir o quanto é actual e merecedor  de uma  dissertação.
A palavra Compaixão que tem origem latina, (compassione). Que pode ser descrita como  a virtude de compartilhar o sofrimento do outro, entre outras definições. Assim, Compaixão significa colocar-se incondicionalmente ao lado do outro, sem ter qualquer tipo de julgamento. Contudo, não significa aprovar as suas razões sejam elas boas ou más, apenas propiciar o alívio da sua dor.
 Ter compaixão é não ser indiferente frente ao sofrimento do outro. A compaixão distingue-se claramente da piedade, do amor e da generosidade, porque nela nos compadecemos junto de quem sofre. Por esse motivo poucos têm essa virtude, e poucos são os que têm vontade de a desenvolver, porque para ajudar os outros temos que ser acima de tudo íntegros , estar por inteiro,  ter sentimentos, ter  domínio da situação e inteligência. 
Quando nos compadecemos da dor do outro, quando somos compassivos  com alguém, algo inusitado acontece dentro e fora de nós. Poderíamos dizer que se estabelece um cordão energético positivo que envolve os intervenientes, trazendo felicidade.   Por dar felicidade aos outros não diminuimos a nossa felicidade, podendo mesmo aumentar.  A felicidade não é um recurso escasso. Enquanto nas coisas materiais dar, diminui o valor da existência, na felicidade dar, aumenta o valor da existência. Inversamente, ao pretender-se diminuir a felicidade dos outros, diminui-se a nossa própria felicidade. 
Quando temos compaixão pelo próximo, sentimo-nos mais humanos, ou seja como nós mesmos. A dor do nosso semelhante é como se fosse a nossa dor, e essa forma de viver e de nos relacionarmos leva à misericórdia e consequentemente à elevação, desenvolvendo em nós qualidades humanas nobres, atingindo o verdadeiro sentido do que é ser Humano, e a nossa mais elevada humanidade.
 A compaixão, é isenta de preconceitos de julgamentos e absolutamente universal, e a mais universal de todas as virtudes, pois ela exige de nós uma atitude, que sejamos actuantes e disponíveis. É uma atitude mental que não envolve amargura. No entanto, há situações  em que não se pode ser passivo, e ter compaixão não significa que nos deixemos humilhar. Compaixão requer firmeza, e não envolve fraqueza, com muito amor no coração, por vezes é preciso  manter o lugar da verdade e da dignidade.
 Ela é opositora da crueldade e do egoísmo, porque quem cultiva tais sentimentos impede o  desenvolvimento da compaixão no seu espírito. Alguns exemplos de compaixão ficaram marcados nas atitudes Cristo narradas na Bíblia, como um dos exemplos que passo a citar:" Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive de ti?(Mateus 18:33),  em S. Francisco de Assis, Madre Teresa,  e até do próprio Buda quando dizia:" O teu sofrimento é o meu sofrimento, a tua alegria a minha alegria", e de tantos outros seres humanos merecedores de tão nobre virtude. 
Vale a pena lembrar, que a compaixão é um sinal de sensibilidade, uma aversão ao sofrimento alheio, um desejo pelo bem e felicidade do outro. Ser compassivo é estar em comunhão com o sofrimento. Diz um certo ditado:" Faz o teu bem com o menor mal possível a outrem".  E para finalizar porque o tema é vasto, termino com uma citação de um  mestre budista: " Ter compaixão é aliar  amor e sabedoria".

Elly







http://www.ted.com/talks/lang/por_br/daniel_goleman_on_compassion.html

14 de julho de 2010

SAUDADE




SAUDADE

Há sonhos muito felizes, e encantados
reponsando como nenúfares nas mentes,
são céus azuis e doces luares estrelados
onde as guitarras fixaram olhares fermentes!

Sonhando, só quero apenas, ouvir-te
sentir o teu brilho como estrela de luar
traçando a capa, por esse fado triste,
na candura que encanta todo o meu olhar...

Sonho, um sonho que é doce saudade,
onde o vento lá vai cantando baixinho,
as estrófes num mondego, coberto de vaidade
das argúis promessas feitas de mansinho...

Neste sonhar, houve prece como fado, que induz
o amor sem desventura, porque Deus é atento a quem
merece, e nele coloca-lhe o sol o mar e a luz!...

Elly...

11 de julho de 2010

SONETO DOS OLHOS AZUIS





" Estes são meus, porque hoje estão azuis, mas também em verde se transformam"
Um olhar sobre o olhar


Soneto dos Olhos Azuis


São como dois azuis perdidos lagos
Teus lagos olhos, mansos olhos rasos
Puríssimos azuis, dos prantos vasos
Perdidos olhos claros como lagos.

Espelham os teus olhos mundos vagos
Lagos espelham sóis azuis, ocasos
Translúcidos azuis dos meus acasos
Teus raros olhos claros, olhos vagos.

Vagueiam sobre mim teus olhos caros
Claríssimos azuis teus olhos raros
Perdidos olhos calmos como lagos.

Espelhos que refletem mundos rasos
Espelham sentimentos que são vasos
Teus olhos tão azuis... azuis... e vagos

(Aramis Ribeiro Costa)

Elly

10 de julho de 2010

LUZ DO SOL




(...) Era preciso cantar a terra toda
Mas mais que tudo as praias e as florestas
Onde incessantemente se renovam
Desertos desumanos e desumanas festas. (Sophia de Melo Breyner Andresen)

Elly

9 de julho de 2010

SUGESTÃO DE LEITURA



Partilho com todos vocês esta boa leitura!
(Aqui fica uma breve abordagem ao tema do livro, "O Efeito Sombra")

O principal objectivo do livro "O Efeito Sombra" é apresentar ao leitor o conceito desse elemento presente e omnipresente em nossa mente, e mostrar como a sombra actua em nosso dia-a-dia, na nossa vida, os prejuízos que ela traz quando é ignorada e desconhecida e o grande número de portas que ela pode abrir quando é aceite e compreendida.
O que é a Sombra? Bem, a Sombra é tudo aquilo que não queremos ser, mas somos. Nas palavras de Carl Gustav Jung a sombra é “a coisa que uma pessoa não tem desejo de ser”. A sombra é a parte oculta que existe em nossa psique, os nossos sentimentos reprimidos, medos, e desejos, a sombra pode ser um aliado ou o destruidor de nossas vidas. É aquele sentimento escondido de todos, é aquele desvio de comportamento que uma pessoa considerada "boazinha" possui. É o desejo de se entregar ao vício, de explodir, de brigar. É toda a energia que tentamos não ter. Porém a Sombra é parte nossa, é algo bom. Escondida, pode transformar-se em maus pensamentos. A “Sombra” é aquilo que escondemos dos outros e até de nós mesmos, mas que não podemos fugir. Porém, descoberta e compreendida, a Sombra nos levará ao caminho da plenitude!
Este é o primeiro livro de ensinamento popular e compreensível sobre como o efeito Sombra age nas nossas vidas e no mundo ao redor. Através da experiente ajuda de Deepak, Marianne, e Debbie, uma jornada em busca de quem realmente somos. Podemos acessar forças escondidas em nós mesmos, desenvolver a coragem, acreditar nos insights e iluminar nosso caminho para a felicidade.
Boa Leitura!!!
Elly

8 de julho de 2010

"ALFAMA DO SONHO"



Alfama do sonho

Neste meu sonho menino, desenho um tesouro
que com minhas mãos, vou colorindo este tecer,
pintando os meus olhos, sobre flores de ouro
e nos teus lábios as fontes puras, de enlouquecer...

Entre quatro paredes, dança uma luz ao luar
que vacila, entre brumas escondidas, mil desejos
relampejando em sílabas, com versos de palpitar,
como suaves pétalas doces, nascidas de beijos...

Foram horas, infinitas de verde mar crepitante,
onde as aves cegas, encontraram poiso e jardim,
em ninhos de mel, feitos em doçura fragante...

Com este sabor rubro, se rompe uma chama,
pincelando labaredas, de delicados favos de luz, cujo

estrelado mar ainda alfama, o refolho de quem ama!

Elly

5 de julho de 2010

'AOS OLHOS DA MINHA ALMA'



Alma gêmea
(A ausência que ganha vida no reencontro... )


Ouça-me, não diga nada...

Hoje eu vou dar voz aos sentimentos,
transformá-los em palavras,
deixá-los documentados,

Chegou a hora, de demonstrar
o que eu sinto,
o sentimento mais lindo,
a entrega mais segura,
a decisão mais sábia...

Somos a prova real,
do reencontro de duas almas,
que em verdade,
nunca se separaram totalmente.

A busca terminou...
À nossa frente, o futuro,
não mais incerto,
agora com certeza, eterno...

(S.R)
Elly

4 de julho de 2010

PARA TI




Um poema que me foi dedicado!
(Aqui fica o meu agradecimento, obrigado )

Para ti

Enquanto finda a tarde, atrás de um monte,
E a mata silencia - o Sol é posto -,
Procuro, inda, na aurora, ao horizonte,
Brilho e beleza, como há no teu rosto.

A saudade que sinto, agora, é fonte
Da imensa dor, à qual estou exposto.
Rezo ao entardecer, então, que aponte,
Antes da noite, um fim prá o meu desgosto.

Pois sei que a Lua vai me achar sofrendo
E, se eu dormir, será pelo cansaço
Da longa espera prá te ver chegando.

Mas, mesmo quase eterno o sono sendo,
Não terei esquecido o teu abraço
Se, ao acordar, inda estiver chorando.

(P.)

Elly

O MEU CORAÇÂO


Não posso deixar de publicar aqui um poema que me foi oferecido...Obrigado


"O Meu Coração"

O teu coração, é meio criança,
Vive cheio de alegria e esperança!
Quase um adolescente,
Pois vive rindo, contente!

É um coração cheio de ilusões
E não se cansa das emoções!
Ele não consegue ver a maldade,
Sempre acredita que é verdade;

Apesar de tudo, acredita na amizade,
Acredita ainda na felicidade,
É um coração feminino,
Que já enfrentou desatino;

já sofreu, já chorou, e foi magoado;
Mas continua um coração adolescente,
Porque teima em acreditar no amor!
(M.)

Elly

OS ILUMINADOS




Reflexão Espiritual

A iluminação nada mais é do que um reconhecimento, não uma mudança. Há pessoas na terra cujas mentes foram completamente curadas pelo Espírito Santo. Elas aceitaram a Expiação. Quando a mente vai em direcção a Deus, torna-se um receptáculo para o Seu Poder. Santos e profetas ao aceitarem a Expiação, foram purificados em seus pensamentos e são chamados de Iluminados. Luz significa compreensão. Os Iluminados compreendem. Eles são como nós, mas têm apenas o amor dentro de si. A mente de Cristo é a perspectiva do amor incondicional. A verdade nos liberta porque nos livra dos nossos pensamentos temerários.
De acordo com as leis da evolução, uma espécie se desenvolve até um certo ponto até que aquele tipo de desenvolvimento não seja mais necessário à sobrevivência. Nesse ponto ocorre uma mutação, e os descendentes da mutação são os que sobrevivem. Nossa espécie está em dificuldades porque lutamos muito contra tudo e contra todos, e esses nossos métodos cheios de medo são uma ameaça a nossa sobrevivência.
Uma pessoa que ama na totalidade é como uma mutação evolutiva e cria um contexto no qual os milagres acontecem. Esta é uma orientação de vida capaz de preservar nossa sobrevivência. As mutações iluminadas apontam o caminho certo. Este é o papel dos mestres como Jesus e Buda na espiritualidade e outros nas demais áreas.
Jesus é um símbolo pessoal do Espírito Santo. Ele é apenas uma das faces do Espírito Santo. Jesus vivia aqui no mundo de medo, mas compreendia somente o amor. Tudo o que fazia era guiado pelo Espírito Santo e não pelo Ego. Jesus concretizou a mente de Cristo e então recebeu de Deus o poder para nos ajudar. Ao compartilhar da visão de Deus, Ele se tornou a visão de Deus, por isso nos vê da mesma forma como Deus.
Os contos de fada como Branca de Neve e A Bela Adormecida são uma metáfora da relacção entre o ego e a Mente Divina. A madrasta má é o ego, que pode fazer a Bela Adormecida ou Cristo adormecer dentro de nós, mas nunca poderá destruí-lo, apenas cair no sono por um longo período. O Príncipe Encantado dos contos é o Espírito Santo, que nos desperta com o Seu amor. O nosso salvador tem várias faces e uma delas é Jesus, nosso irmão mais velho, um Presente.
(Marianne Williamson)
Elly

3 de julho de 2010

A LUZ DO TEU LUAR




A luz do teu luar

Só na noite este céu azul, se desvenda num oceano
em vagas deste sonhar, sem sombras nem idade,
onde à deriva vai uma nau desperta de saudade
flutuando a esmo o rumo, por seu triste desengano…

Sopro os ventos, como batidas nas horas lentamente
erguidas de luz já esbatida, surge no céu já outro dia
em tons de cinzentos e azuis, cogitando a harmonia
cuja voz é calma como a ria, e pura seguramente…

Mas mágica, só é a distância entre a noite e o dia,
onde pelas areias brancas se desenhavam escritas,
feitas de brisas de solidão, sem versos nem poesia…

Onde os teus raios diáfanos, escreviam um doce luar
que enchia o cantar da noite de luz, como o sol do dia
forte que apaga, e murcha cada estrela, no seu brilhar!

Elly






2 de julho de 2010

SER FELIZ!

"Nunca encarei o conforto e a felicidade como fins em si mesmos...os ideais que iluminam o meu caminho e repetidamente me deram coragem para encarar a vida com alegria foram a Gentileza, a Beleza e a Verdade". (Albert Einstein)

Foi na leitura deste pensamento que hoje resolvi reflectir e pensar no que é ter uma vida boa?

Por alguns minutos a minha mente percorreu os ensinamentos de um dos meus pensadores mais admirados; Aristóteles, discípulo de Platão que por seu turno foi discípulo de Socrates. Nestes três ilustres pensadores, apesar das várias divergências, neste campo todos eles acreditavam que não é apenas a vida que devemos valorizar, mas também uma boa vida. E uma vida bem vivida é uma vida feliz. Aristóteles acreditava e ensinava que as virtudes da felicidade são o objectivo da vida; e tudo o mais são os meios para alcançar esse fim. Para ele uma vida boa é uma vida de excelência moral que nos conduz à felicidade e ao sermos felizes com ela somos bons e quando encontramos a nossa própria felicidade fazemos o bem aos outros. Porque o bem é integralmente bom, e é necessário tanto nas coisas pequenas como nas grandes que procuramos realizar. Devemos acreditar que temos a obrigação e o dever de viver da forma mais bela e humana possível, capaz de influênciar todo o pensamento prático, especialmente nas nossas acções. A vida é uma progressão constante na capacidade de extraimos de nós, o nosso enorme potencial, sempre a revelar-se, sempre a expandir-se, uma vida grande, rica, profunda, repleta de oportunidades para aprender, crescer, estudar, ensinar e criar. Devemos ser idealistas, vivendo segundo princípios dignos e honrosos. Devemos treinar e ser disciplinados na procura do bem maior que há em nós e à nossa volta, e de forma paciente perseguir esses nobres ideais através de escolhas reflectidas. Como seres pensantes, dotados de amor e sentimentos, ao vivermos de acordo com os nossos ideais e aspirações mais elevados, cumprimos o nosso propósito na vida. As nossas escolhas, devem conduzir-nos a uma maior transformação pessoal, e ao aceitar praticar uma vida boa, abordamos os nossos desafios com maior equílibrio e temos uma atitude mais positiva e construtiva.

Elly