Seguidores

17 de agosto de 2010

ROSTO INVISÍVEL




ROSTO INVISÍVEL


Sempre que me verifico
Não tenho tempo nem espaço
pois passando no que fico
Vou ficando no que passo.
Inúteis os meus anéis
Já os troquei por poemas,
Se não hão-de perder-se os papéis
Voam com as minhas penas.
Nesta arte de vulções
Acende com mãos tranquilas,
Vou aprendendo as lições
que me ensinam as Sibilas.
A minha reputação?
Nesse nicho não me apertem.
As minhas penas não dão
Cera que as Parcas derretem.
Natália Correia
(Elly)

2 comentários:

  1. Rosto invisível, alma descoberta.
    Bela escolha Elly.
    Beijinhos...Mu@@@@

    ResponderEliminar
  2. Elly
    Encontrei-te. é bom saber que partilhamos a mesma blogosfera.
    Virei cá maks vezes para sentir que estás desse lado.
    Beijocas.
    Cinderella
    www.aconchegame.blogspot.com

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita e seu comentário, volte sempre. Beijinhos